O presidente da ADEP-MG, Fernando Martelleto, participou na noite de ontem (10/08) da reunião por videoconferência com o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Edson Fachin, juntamente com representantes da ANADEP e demais Associações Estaduais. Durante o encontro, as defensoras e defensores públicos reiteraram o apoio ao TSE e ao sistema eleitoral brasileiro.

 

Abrindo o evento, a presidente da ANADEP, Rivana Ricarte, apresentou as defensoras e defensores presentes e reiterou o apoio das entidades ao trabalho do TSE e a confiança na integridade do sistema eletrônico de votação. “Para nós, é uma alegria muito grande, minha e de meus colegas, nos engajarmos na defesa desse sistema, do regime democrático e do TSE”, disse.

 

Representando a Região Sudeste, Fernando Martelleto cumprimentou o ministro Edson Fachin pelo trabalho realizado a frente do TSE e pela criação das Missões de Observação Eleitoral no âmbito nacional, a qual a ANADEP foi convidada a integrar como uma das entidades observadoras.

Ainda ao uso da palavra, Martelleto também relatou o recente encontro com o presidente do TRE-MG, desembargador Mauricio Torres, oportunidade em que foi reiterada a confiabilidade no sistema eleitoral. Além disso, Fernando Martelleto lembrou da recente fala ministro Edson Fachin, o qual afirmou que defender a inviolabilidade das urnas e a regularidade do processo eleitoral devem ser “as trincheiras dos defensores da democracia, da transmissão responsável de informação e no enfrentamento de notícias falsas”.

 

“Neste contexto, a Defensoria Pública de Minas Gerais, dos Estados e a Defensoria Pública da União, elas têm muito a contribuir para esse sistema garantidor da efetivação dos direitos humanos com governança horizontal e democrática”, avaliou o presidente da ADEP-MG.

 

Ao fim, Fernando Martelleto novamente parabenizou o ministro Edson Fachin pelo compromisso, empenho e esforço dedicado a manter a paz e segurança das eleições, além de ter imprimido no TSE o vigor necessário para a proteção e a legitimidade da urna, ao cabo da própria democracia brasileira.

 

Ao lado da secretária-geral do TSE, Christine Peter, o ministro Fachin destacou o papel das Defensorias Públicas numa sociedade como a brasileira, em que ainda é preciso enfrentar desigualdades e discriminação. “Há que se ter o direito de lutar para ter direitos”, afirmou.

 

Com informações do TSE

Outras notícias